top of page

Sobre nós

4.jpg

Presidenta

Neuza Aparecida Oliveira Peres

Professora Especializada em Ensino de Filosofia e História Oral.

Militante da APEOESP.

6.jpg

Vice-Presidente

Aldo Josias dos Santos

Professor Especializado em Filosofia da Educação e em Sociologia do Mundo do Trabalho, Escritor.

Militante da APEOESP. 

Design sem nome.jpg

Secretária Geral

Maria Terezinha Corrêa

Professora Especializada em Ensino de Filosofia, Pedagoga e Antropóloga.

Militante da APEOESP, ABA, SPBC e SINTRAN/SC.

1.jpg

Tesoureira Geral

Laismeris Cardoso de Andrade

Professora, Secretária Geral do CPP e Diretora Regional do CPP de São Bernardo do Campo.

7.jpg

Diretor de Relações Pedagógicas

Valdenir Abel dos Santos

Professor de Filosofia e História.
Militante da APEOESP.

5.jpg

Diretor de Comunicação

José Antonio Burato

Professor de Filosofia e escritor.

2.jpg

Diretor de Relações Institucionais 

Marcos da Silva e Silva

Professor Doutor de Filosofia e pesquisador em Educação.

Professor de Filosofia e escritor.

Gleide.jpeg

Diretora de Relações Pedagógicas 

Gleide Alves

Professora Doutora de Filosofia
Militante quarta internacionalista- trotskista, Membra da ASPEFIL

3.jpg

Diretor de Relações Institucionais

Aldacir Fonseca de Souza

Professor de Filosofia
Ativista e militante do Movimento Negro

Antes de tudo devo dizer que é uma satisfação muito grande conversar com vocês, por este canal que é o nosso recém-inaugurado site da Associação de Professores/as de Filosofia e Filósofos/as do Brasil, a APROFFIB.

 

A APROFFIB é fruto da luta objetiva, do embate direto nas lutas concretas. Essa é a natureza, a origem do que nós imaginamos que deva ser uma entidade que tenha a pretensão de representar a Filosofia.

 

A entidade começa a nascer já na década de 1980, em plena ditadura militar, com os grupos de estudos em Diadema – SP. Essa cidade da região do Grande ABC era um extraordinário laboratório da resistência política e popular. Nesse período, fizemos as primeiras experiências de introduzir material didático para História, Geografia, e também para algumas aulas de Filosofia.

 

Na APEOESP foi organizado o coletivo Estadual de Filosofia e de Sociologia e Psicologia. Tínhamos frequentes reuniões, um período muito rico, porque já defendíamos que essas áreas, principalmente por conta da sua natural criticidade, tivesse um espaço próprio para poder ajudar na reflexão dos professores dentro do Sindicato da APEOESP no Estado de São Paulo.

 

Já em 2003, tendo Lula como presidente eleito, as coisas começaram a melhorar nessa luta. Lula foi receptivo, digamos assim, com a luta sindical e com as demandas que os sindicatos e os coletivos apresentavam.

 

Mas foi em 2006 que as ideias começaram de fato a se materializar. Os professores e as professoras presentes no plenário do Conselho Nacional de Educação acompanharam o resultado da votação, que estabeleceu a vitória por unanimidade pelo ensino de Filosofia e Sociologia na rede pública brasileira. Lembramo-nos do discurso de César Callegari e outros sobre a importância da aprovação da propositura que estabeleceu a obrigatoriedade do ensino de filosofia na educação brasileira. Havia euforia, afinal, a partir de então, a “juventude iria entender o seu papel na história e saber que poderia ser um dos agentes transformadores da sociedade”.

 

Nos dias 22, 23 e 24 de julho de 2007 foi realizado o Encontro Nacional de Filosofia e Sociologia com aproximadamente 500 professores/as de todo o Brasil, reunidos/as no Parque do Anhembi, em São Paulo. Um grande grupo formado por acadêmicos/as, sindicalistas, militantes de coletivos de todo o Brasil, que estavam no chão da sala de aula, lutando pela Filosofia e pela Sociologia.

 

Consideramos que esse foi simbolicamente o “primeiro Encontro da APROFFIB”, porque foi nesse encontro – com muitas disputas políticas – que se discutiu a necessidade da organização dos/as professores/as de Filosofia.

 

No segundo dia do encontro, 23 de julho, distribuí panfletos no espaço destinado à Filosofia, que defendia a organização em nível nacional dos/as professores/as de Filosofia, para representar o segmento da filosofia no ensino médio brasileiro. Era necessário ter uma entidade que pudesse estabelecer um diálogo com os/as professores/as e com o novo mercado que iria surgir a partir da abertura de concurso público, para poder implementar a legislação pertinente no Brasil.

 

No dia 24, propusemos a formação do Coletivo Nacional de Filosofia e, apesar de todas as manobras do grupo político majoritário, que dirigia o encontro, conseguimos, de certa forma, chamar a atenção para a importância desse Coletivo e, também, a concordância dos presentes para essa organização.

 

Foi então que cerca de 80 professores/as que estavam presentes aprovaram a criação do Coletivo Nacional de Filosofia, com a representação de dois professores por estado. Pelo Estado de São Paulo fiquei eu e o Celso Torrano, um professor de Osasco, como representantes e articuladores deste movimento.

 

É aí que surge o embrião da APROFFIB, o embrião de uma organização para poder dialogar com esse segmento resultante da luta pela obrigatoriedade da filosofia no ensino médio brasileiro.

 

Em Janeiro 2008 participamos do Congresso da Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação – CNTE –, quando nos reunimos com vários professores/as de vários estados do Brasil. Tudo isso está devidamente registrado num documento que será transformado num livro, cujo título será A luta da Filosofia nos últimos tempos.

 

Em 2008 também é realizado na APEOESP, em São Paulo, o 9º Encontro Estadual do Coletivo de filosofia, sociologia e psicologia, onde apresentamos a necessidade da organização de uma entidade de filosofia, uma associação de professores/as de filosofia no Estado de São Paulo. Foi então que surgiu a ideia da criação da Associação dos/as Professores/as de Filosofia e Filósofos/as do Estado de São Paulo, a APROFFESP. Também nesse ano tivemos a aprovação da Lei 11.684, revendo o artigo 36 da Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional – LDB –, introduzindo a obrigatoriedade da filosofia e da sociologia no ensino brasileiro.

 

Em 2009 foi eleita a primeira diretoria da APROFFESP.

 

É em 2010 que tanto a APROFFESP quanto o Coletivo Nacional de Filosofia acompanham a luta pela implementação da Filosofia no Ensino Médio do Brasil.

 

Nos dias 6 e 7 de dezembro de 2012 é realizado o Primeiro Encontro Estadual de Filosofia na Assembleia Legislativa de São Paulo – ALESP –, com cerca de 500 professores/as. Na ocasião a APROFFESP conquistou, junto ao secretário Estadual de Educação, o direito ao abono de ponto para participar desse encontro. Na oportunidade é aprofundado o debate sobre a necessidade da criação de uma entidade nacional para representar os/as professores/as no âmbito da filosofia.

 

A luta pelo ensino de filosofia continuou. Em 6 de fevereiro de 2013, uma comissão formada no Primeiro Encontro Estadual de Filosofia (SP), procurou o deputado federal Ivan Valente e encaminhou uma solicitação para que ele apresentasse no Congresso, na Câmara Federal, o projeto de implantação da Filosofia no Ensino Fundamental.

 

Essa sugestão também foi encaminhada para o deputado estadual Carlos Giannazi, que a defendeu na Assembleia Legislativa de São Paulo.

 

Sobre isso, temos a felicidade de informar que o próprio Giannazi disse no Segundo Encontro Nacional de Filosofia, realizado pela APROFFIB em junho de 2022, que o referido projeto já foi aprovado em todas as comissões e agora aguarda o veredito do plenário, o que não será fácil.

 

Ainda sobre a filosofia no ensino fundamental, tramita na Câmara Municipal de São Paulo o projeto de autoria do Vereador Celso Giannazi, também propondo a filosofia no ensino fundamental na cidade de são Paulo.

 

Resumidamente podemos dizer que a APROFFIB é uma entidade jovem, desempenhando importante papel sobre o ensino de filosofia no Brasil.

 

A APROFFIB tem um objetivo claro: não é a filosofia pela filosofia, mas a filosofia com recorte político dentro de uma concepção de classe.

 

É um pouco isso, um pouco da cronologia das lutas travadas para o surgimento da APROFFIB, juntamente com o surgimento da APROFFESP, antecedido pelo Coletivo Nacional de Filosofia.

 

Entramos em contato com vários estados, ora fornecendo ajuda oferecendo um modelo de como nos organizamos no estado de São Paulo, ora conversando com professores/as, ou até mesmo criando comissões regionais, conforme está previsto no Estatuto da entidade.

 

Esperamos por vocês, porque são vocês, professores/as de filosofia e filósofos/as do Brasil que podem juntos conosco, transformar a realidade da educação brasileira.

Aldo dos Santos

Vice-presidente da APROFFIB

*Texto transcrito da reunião de apresentação da APROFFIB no dia 06/12/2022

Associe-se

bottom of page